19 de outubro de 2009

Vórtice Escoador

Photo by Alice atrás do Espelho



Outono de folhas em papel de jornal,
Final luminoso que entardeceu na porcelana do olhar,
Sem resposta encolheu-se na ambiguidade de um rabisco.

Viajem cerebral em águas entupidas e renitentes,
Razão parada que ali ficou tremeluzente na rouquidão de um sabor,
Anúncios borrados de produtos dúbios, aninham-se em retóricas desconjuntadas,
Largando cor no deserto ávido; despindo quadriculas em granulados lodosos.

Despejo que se estende na secura de uma descarga efémera,
Abandono fugaz e pausado num fluxo posterior,
Guardado em peças de fragilidade reutilizável, debaixo de botões invisíveis.

Fuga emparedada em peões higienicamente estratificados,
Escalada estratégica em dicotomias provocadas,
Esconde-se numa persuasão escorrida de infiltrações pontuais.

Desinteresse pontiagudo em caixas de odores neutralizados,
Caem sob um enquadramento sazonal, no limiar do Não-Realizável.

Procuras subtis que deixaste estendidas em títulos vazios,
Foram manchas insípidas na incompreensão de massas dormentes,
Tentativas vãs que se entalaram em círculos processuais interrompidos.

Oportunidade nunca dada, quando ela nunca a teve,
Amarrotada em teus dedos curtos de Vórtice inconsciente.



Music : Lost Song - Ólafur Arnalds

3 comentários:

Tweezers disse...

Lindo!!! :P
Oportunidades e escoadores. É sempre assim. Elas estão lá, podem aparecer numa caixinha toda fofa, cheia de corações ou num saco do lixo. O problema consiste no facto de não se gostar de mexer nos sacos do lixo, pois estes, já por si, não são coisas que se queiram mexer, muito menos explorar. Espertos são aqueles que guardar as suas reliquias em sitios desagradáveis. Tira-se logo a pinta daqueles que não gostam de sujar as mãos.
Todos nós têm um saco do lixo. Reciclar, é que está quieto :P

Beijos A-Normais

alice atras do espelho disse...

=) lol nem todos sabemos reciclar, até porque o acto de reciclagem tem demasiados pilhoes, vidroes, contentores, com demasiadas instruçoes, e manuais em "como fazer". Mas aqui o retrato é mais de uma tampa "humana" em vortices angustiantes de outros, onde ninguem puxa ou empurra, para que a fluidez volte a "escoar" lolol cenas anhadas! ;)

Bjs deste lado

Tweezers disse...

Nada anhado!